#VoteemPreto



Um movimento cultural, político e afirmativo preto



#VoteemPreto é um movimento cultural, político e afirmativo preto. Uma chamada ao compromisso de elegermos representantes pretos/negros no governo e ocuparmos os espaços de poder e decisões políticas e sociais. 






"Não vote em branco, vote no preto", era o slogan da campanha para vereador do ativista e intelectual preto Abdias do Nascimento pelo Partido Social Democrático (PSD) usado nas eleições de 1954, o que seria da hastag da época. A frase marcou a integração da negritude e do conceito de "voto racial" no discurso político de ativistas negros brasileiros, como demonstra a Doutora Edilza Correia Sotero em sua tese de doutoramento apresentada em artigo da seção Sociedade do site da Universidade de São Paulo. 

Sua tese é que até aquele momento, a plataforma racial não havia se estabelecido de fato no Brasil, ou seja, tanto candidatos quanto eleitores (brancos e pretos) ainda não haviam aderido de forma massiva ao discurso do voto racial e a necessidade de se eleger candidatos e candidatas pretos. Leia o artigo completo.

Para o site, Sotero diz não conseguir localizar políticos em escala nacional que se candidatem usando a plataforma da negritude. "Eu não consigo imaginar algo como a campanha de Abdias do Nascimento hoje", conclui no artigo publicado em outubro de 2015. 


Após períodos de fechamento do estado e por razões de ordem econômica e repressão de organizações pretas e periféricas, nas últimas décadas a emergência e a luta destes atores pretos do cenário político estão pressionando a sociedade por mudanças urgentes. Como continuação aos estudos de Sotero, demonstrando uma característica descentralizadora de movimentos e ações pretas, a força do voto em preto volta a movimentar o imaginário dos eleitores nestas eleições através de ações e movimentos afirmando o voto racial. Vote em preto.



#VoteemPreto 

Helio Santos é um dos idealizadores do movimento #VotoemPreto


Alguns candidatos utilizaram o moto e fizeram o chamamento ao voto racial em campanhas em outras eleições, mas neste pleito, o ideal de representatividade preta e democracia renasce com mais força baseado em movimentos de empoderamento estéticos e culturais e a revolução social e econômica protagonizada pela comunidade preta. 

Errou quem supôs que a geração tombamento e os afroempreendedores se limitariam a ostentar seus crespos e celebrar a negritude. Nas últimas semanas vimos estas ideias políticas surgirem de maneira autêntica, através de diversas páginas, sites, movimentos, coletivos que conectadas ao espírito do momento, afirmam o voto racial como o verdadeiro voto da transformação brasileira. O portal Alma Preta documentou o movimento político no artigo “Vote em Preto, uma necessidade em 1958, uma necessidade em 2018” publicado no portal.


1 Milhão de brancos votado em candidatos pretos



A Doorbell Ventures, uma start up preta, lançou o desafio de unir o 1 milhão de votos brancos em candidatos pretos e criou um grupo no Facebook, na onda dos grandes grupos de protesto como "Negros e negras contra B*lsonaro" e "Mulhers contra B*lsonaro". 







A proposta é de forma provocativa lançar o desafio de se provar que nem todos os brancos são racistas e demonstrar numericamente juntando 1 milhão de pessoas brancas declarando seus votos em candidaturas pretas. 




Através do compartilhamento de candidaturas pretas e de material de conscientização, esta página tem o intuito de cobrar ações daqueles que dizem lutar contra o racismo , mas nada fazer em prol da luta anti-racismo. 

A matemática por trás do milhão é simples e não contem rigor científico: 

  • Segundo o último Censo, 47% dos brasileiros são brancos 
  • Se adotarmos como modelo que 1 em cada 10 brancos não são racistas 
  • Se 1 milhão de brancos votarem em candidaturas pretas haverá um grande impacto nas eleições de candidaturas pretas 
  • Pela mobilização de 1% dos brancos brasileiros. 


A Primavera Preta


A população preta vem protagonizando nas últimas décadas uma revolução social, seja através do empoderamento estético e cultural, seja pela força criativa afroempreendedores, sendo fazendo um movimento de retorno a raízes e honra à luta ancestral. E a política partidária como parte estrutural da sociedade não poderia estar de fora deste desta revolução com a luta dos afrodescentendes pela justiça e oportunidades iguais.. 

Em novembro de o Painel BAP, o primeiro painel de consumidores afrobrasileiro realizou a pesquisa inédita Afrodescendentes e Política, onde pela primeira vez as demandas políticas de afrodescendentes foram documentas por uma empresa preta. A publicação destes dados pode ser considerado um dos marcos deste movimento político unificado preto, que tomou conta dos partidos onde militantes cobraram representação e oportunidades dentro dos partidos. 

Vote em preto é cultura, é criação de valor e de reflexão e empoderamento racial. Estamos prestes a ver o resultado dos últimos anos de trabalho, luta e empoderamento social. Podemos dar a resposta nas urnas sobre o Brasil que queremos. Este ano somos 43% dos candidatos são negros e esperamos que nossa representatividade seja igual a transformação que buscamos finalmente para o nosso país. 

Vote em preto, vote pela luta anti-racismo, vote pelo empoderamento econômico da população preta, vote em preto pela diversidade. Bem disse o sábio Abdias do Nascimento “A sociedade vem mudando, à medida que a gente bate, bate, bate na mesma tecla. É verdade que é assim aos pouquinhos, mas é um processo irreversível.”. 




:: Efigenias :: 

#VoteemPreto 



__________ 



Na última atualização faltam 997 700 brancos votando em candidatos pretos.